Tubulação da Compesa “explode” e abre cratera em rua, no bairro João Mota.

.
.

Uma tubulação da companhia de Abastecimento d’agua, Compesa, “explodiu” na principal rua de acesso ao Bairro João Mota e Adjacências abrindo uma enorme cratera no logradouro.

A foto é de Hygor Mendes. Líder comunitário do bairro.

A foto é de Hygor Mendes. Líder comunitário do bairro.

Como recentemente foi feita uma parceria entre a Compesa e a prefeitura, a primeira irá consertar o estouramento do ramal de distribuição. Entretanto, a recuperação e asfaltamento do trecho danificado ficará à cargo da prefeitura.

Por Jornal de Caruaru

Vice prefeito do PDT e dois vereadores do PSB de Taquaritinga declaram apoio a Armando Monteiro.

.
.

O senador Armando Monteiro recebeu nesta quinta-feira (17) o vice-prefeito de Taquaritinga do Norte, Ivanildo Bezerra (LERO), do PDT, e mais um grupo de três vereadores, dois deles do PSB, Geovane e Luquinhas da Saúde, e um do PTB, o vereador Batata. Eles estiveram com Armando para garantir o apoio à sua pré-candidatura ao Governo de Pernambuco.

LERO COM ARMANDO

O vice-prefeito disse que Armando é hoje o nome que melhor corresponde aos anseios da população de Pernambuco e, especificamente, do Agreste. “Armando tem visão de desenvolvimento e é a pessoa que tem defendido a causa do pequeno empresário. Nós do Agreste, que temos o comércio e o setor de confecções como principal atividade econômica, reconhecemos isto e não poderíamos deixar de apoiar este projeto”, afirmou, lembrando do trabalho de Armando em defesa da redução de impostos para micro e pequenas empresas.

Por Jornal de Caruaru

Morre Toinho de Alagoas

.
.
Cultura e Cidadania nova arte md C&C

Faleceu na sexta-feira, 18 de abril, às 21 horas, em Recife, o cantor e compositor Toinho de Alagoas. Foi levado para capital na quinta-feira para ser internado após sofrer infarto. Toinho era casado, dois filhos e tinha 69 anos.

Toinho de Alagoas

O corpo foi velado na manhã do sábado 19 no Dom Bosco. Depois o corpo saiu de Caruaru em direção a Alagoas as 11 horas pra ser enterrado na terra dele a pedido dele mesmo.

Desenvolveu sua carreira, inicialmente muito prestigiado no nordeste, Desenvolveu sua carreira apresentando-se em festas de forró, festas juninas e apresentações em clubes e barzinhos em diversas cidades nordestinas. Chegou a ter o seu talento musical reconhecido internacionalmente.

Em 1980, conheceu, juntamente com o sanfoneiro Duda das Passira, que faleceu no ano passado, o produtor e flautista Zé da Flauta que resolveu gravar algumas canções com eles e mais Heleno dos Oito Baixos e Zé Orlando, o que resultou no disco “Forró Brasil”, LP posteriormente transformado em “Brazil: Forró. Music for Maid and taxi Drivers”, que ganhou o Grammy Awards na categoria “Traditional Folk” em 1991. Nesse ano, o forró “Maria é uma louca”, com Luano do Recife, foi gravado por Luano do Recife.

Neste período Toinho se tornou evangélico e não viajou com eles para receber o prêmio.

Em 1983, teve a composição “No balanço da canoa”, apresentada por Alceu Valença no Festival de Montreux na Suiça e gravada no disco “Brazil night – ao vivo em Montreux – Alceu Valença, Milton Nascimento e Wagner Tiso”.

Uma das pessoas que evangelizou Toinho foi o produtor de eventos Jaelcio Tenório, levando-o aos programas e eventos. No meio evangélico Toinho de Alagoas permaneceu compondo e cantando, fez parceria com diversos outros compositores e cantores, como Tiago Duarte e Isaías do Acordeon (ambos falecidos).

Temos conhecimento que gravou cinco (05) CDs evangélicos e participou de diversos eventos e cultos em igrejas e ministérios. Sendo parceiro no estilo musical de sanfoneiros como Isaías do Acordeon, Erasmo Miguel e do poeta cordelista Nelson Lima.

“Pra mim muito grande perca de um poeta evangelista com nem um outro jamais vi, eu o amava muito e cheguei a declarar varias vezes no radio isso do meu amor e admiração por ele”, falou p locutor da 102 FM e apresentador do programa LOUVOR NORDESTINO Erasmo Miguel no blog da Presentia.

Para o ator e escritor Nelson Lima “Toinho sempre representou fé, humildade, desprendimento; talento, desinteresse financeiro, serviçal. Lembro sempre dele, pra cima e pra baixo, com um mói de CDs nas mãos tentando vender aos amigos, talvez, os IRMÃOS não se interessavam em comprar.”
Muitos relatos existem de que nestes últimos anos o Toinho vinha se sentindo abandonado, tanto pelo meio secular como pelos irmãos na fé.

HOMENAGENS NO RÁDIO

O primeiro programa que eu ouvi registrando este falecimento e prestando homenagem foi o de herlon cavalcanti, no Sábado Cultural pela Rádio Cultura do Nordeste.

Nas emissoras 102 e 107 FM o público poderá conferir mais sobre o talento do Toinho de Alagoas, na terça-feira 22 de abril.

O programa Bom dia Vida, apresentado por Vanderson Lype, fará a homenagem primeiro, entre as 9h e 11 da manhã, na 107 FM.
Às 16 horas o “Louvor Nordestino” apresentado por Erasmo Miguel na 102 FM vai ser inteiro sobre o Toinho.

Para ler mais artigos publicados pelo Paulo Nailson na Coluna Cultura e Cidadania, clique AQUI>>>
…………………………………………………………………………………………………………………………….

*Paulo Nailson escreve no Jornal de Caruaru a coluna Cultura e Cidadania e no blog Política de AaZ. É responsável pelo blog presentiaonline. Atua na Cultura e no meio político. Informações para este espaço: paulo_nailson@hotmail.com

Por Jornal de Caruaru

Patusco encerra a programação do ‘Parada Obrigatória’ neste domingo

.
.

Termina neste domingo (20) a sexta edição do “Parada Obrigatória” que está sendo promovido em várias partes de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. No último dia do evento, o público poderá assistir ao show das bandas Consciência Negra, Nuwe, Afinasamba e Patusco, no Polo da Estação Ferroviária, a partir das 20h. A iniciativa é uma opção turística durante a Semana Santa.



patuscoA programação gratuita começou no dia 12 de abril e contou com mais de 50 atrações. Os outros locais da festa são o Polo da Feira do Artesanato – com repentistas, forró pé-de-serra, bandas de pífano, declamadores e cantores – e o Polo do Alto do Moura – com o espetáculo da Paixão de Cristo e bandas de pífano. A prefeitura incluiu ainda o Polo dos Restaurantes, com 16 atrações.

A programação completa do “Parada Obrigatória” pode ser conferida no site da prefeitura. São esperados mais de 300 mil turistas e movimentação econômica de aproximadamente R$ 30 milhões, durante o período. Estas estimativas são da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur) e foram enviadas pela assessoria da prefeitura.



Horário das apresentações



De acordo com a assessoria, “a logística dos horários das apresentações segue a linha do São João. Vai se trabalhar em consonância com o acordo firmado entre Prefeitura e Ministério Público. As apresentações do polo principal sempre serão iniciadas a partir das 20h e se estenderão até as 2h, no feriado e sábado; nos demais dias, termina mais cedo, 1h”.

Por Jornal de Caruaru

Opinião: Por que existem setores tão ineficientes na prefeitura de Caruaru? – Por Marcos Araujo da Silva

.
.

Ao ler uma matéria aqui, no Jornal de Caruaru, em que moradores da Rua São Nicolau, no bairro João Mota, e da Rua Topázio, no bairro Centenário, faziam apelo a determinados órgãos da prefeitura, em especial à destra, para que fossem tomadas providências no sentido da remoção de verdadeiros “cemitérios” de carros ao longo dessas artérias, que estavam prejudicando, não só o passeio público, mas o trânsito de veículos, fiquei estarrecido com a resposta, também publicada aqui, no Jornal de Caruaru, pela Destra.
opinião

Eles disseram que o prefeito José Queiroz sancionou uma lei, em dezembro do ano passado, regulamentando a retirada destes veículos abandonados em via pública, mas – PASMEM! – ainda não começaram a fazer esta remoção porque o talão e os selos, necessários aos serviços, AINDA não foram confeccionados pela municipalidade.

Agora me digam se não é vergonhoso, para um órgão da prefeitura de Caruaru, dizer que não está atendendo a população e que está permitindo que infrações de todo tipo ocorram porque ainda não foram impressos os “talões e selos” necessários aos serviços?

De quem é a incompetência para que, até o presente momento, estes “talões e selos” ainda não tenham sido confeccionados para fazer valer uma lei em vigor desde dezembro de 2013?

Quando o cidadão faz crítica, (em sua maioria acobertado de razão), muitos que estão nos cargos de chefias e diretorias da prefeitura só pelo salário, fazem birra e reclamam que a população não tem paciência. Mas me digam: – Dá para dormir com uma bronca dessas?

Marcos Araujo da Silva é leitor do Jornal de Caruaru.

Por Jornal de Caruaru

DEM vai anunciar apoio a Paulo Câmara.

.
.

O DEM anunciará, na próxima semana, apoio à pré-candidatura do ex-secretário estadual da Fazenda Paulo Câmara (PSB), indicado pelo seu correligionário e presidenciável Eduardo Campos para disputar a sucessão do Palácio do Campo das Princesas. A informação é da coluna Pinga-Fogo, do Jornal do Commercio.

Mendonça Filho e Paulo Câmara

Com a adesão dos democratas, a coligação Frente Popular por Pernambuco ganha mais um partido de peso para apoiar o PSB, que já conta com o apoio do PSDB e do PMDB. Os peemedebistas, inclusive, indicaram o vice de Câmara, o deputado federal Raul Henry, ligado ao senador e ex-governador de Pernambuco Jarbas Vasconcelos.

No caso dos tucanos, que eram do campo da oposição, vale ressaltar o imenso apoio que dado pelo partido à candidatura de Campos em 2010. Naquele ano, peemedebistas, que tinham Jarbas como candidato, confirmavam que 14 dos 17 prefeitos tucanos, ou seja, 82% do gestores municipais do PSDB apoiavam o então governador, que tentaria a reeleição e acabaria sendo o mais votado do País.

Apesar do apoio praticamente selado do DEM ao PSB, o deputado estadual Maviael Cavalcante e a vereadora recifense Priscila Krause, ambos membros do DEM, não aceitaram o acordo. A união entre democratas e socialistas daria maior musculatura para uma possível candidatura de Priscila à Assembleia Legislativa, mas a parlamentar sempre foi oposicionista ferrenha ao PSB.

O apoio do PSDB e do DEM, que teve o deputado federal Mendonça Filho (PE), como candidato ao governo de Pernambuco disputando contra Campos em 2006, consolida o pragmatismo no cenário político pernambucano. Até mesmo por parte do PMDB, que teve Jarbas como postulante ao Executivo estadual em 2010, e, atualmente, integra a ala da legenda que apoia a pré-candidatura presidencial de Campos.

Em Pernambuco, a pré-candidatura de maior peso contra a coligação formada pelo PSB, DEM, PMDB e PSDB será a do senador Armando Monteiro (PTB-PE), que tem o PT em sua chapa – o deputado federal petista João Paulo, ex-prefeito do Recife, já foi lançado como postulante ao Senado. Ou seja, caso a coligação de Paulo Câmara vença a eleição, existirá chances reais de o eleitorado ver o Partido dos Trabalhadores na oposição, assim como de fato já está, porém em vésperas de eleições, com o objetivo de atrair votos para a presidente Dilma Rousseff (PT) no principal reduto eleitoral de Campos.

Se o PT continuará como legenda oposicionista e como desempenhará este papel caso o PTB perca a eleição, apenas o tempo vai dizer. Seria mais uma “prova de fogo” para saber até aonde vai o pragmatismo da legenda em Pernambuco.

Por Jornal de Caruaru

Alerta aos pessimistas: pensamento negativo tem poder – Por Juliana Bublitz*

.
.

Gatilho hormonal é disparado no cérebro quando a pessoa crê que algo vai dar errado

pensamento negativo

“Ó, vida, ó, azar!”, queixava-se a hiena Hardy Har Har, no clássico desenho animado, prevendo que as coisas não dariam certo. Agora, uma pesquisa provou que, de alguma forma, Hardy tinha razão. Se um paciente pensa que o tratamento não vai funcionar, ele provavelmente não irá, mesmo com as melhores técnicas ou os mais potentes medicamentos.

Uma antiga crença popular acaba de ganhar comprovação científica. Publicado em fevereiro na revista Science Translational Medicine, um estudo liderado pela Universidade de Oxford, da Grã-Bretanha, com a participação de outras três instituições européias, mostrou que o pensamento negativo pode, sim, ter conseqüências nocivas. Pelo menos quando o assunto é saúde.

Decididos a desvendar os mistérios do cérebro e a testar se as convicções dos pacientes podem alterar o resultado de um tratamento, os cientistas reuniram 22 voluntários para uma bateria de exames. No laboratório, sem que os envolvidos soubessem, manipularam suas expectativas em relação à dor. Os resultados foram surpreendentes.

Imagine a cena: acomodados em um aparelho de ressonância magnética, com tubos intravenosos nos braços, os participantes foram expostos a uma dor física, provocada por uma fonte de calor. Pela corrente sanguínea, passaram a receber um analgésico potente.

Em determinado momento, ficaram sabendo que o medicamento seria cortado repentinamente. Quando isso aconteceu, os relatos de sofrimento aumentaram vertiginosamente. Nada demais, não fosse um pequeno detalhe: eles continuavam medicados. O mais curioso é que, por meio de imagens da atividade cerebral dos voluntários, os estudiosos confirmaram que eles realmente sentiam o desconforto relatado. Em outras palavras, a certeza de que a situação iria piorar anulou o efeito do remédio.

— Isso mostra que os médicos não podem subestimar a influência das expectativas negativas que os pacientes têm sobre o resultado de um tratamento —, declarou a professora Irene Tracey, do Centro de Ressonância Magnética Funcional do Cérebro da Universidade de Oxford, que comandou o trabalho.

Pessimistas

A conclusão também reforça algo que outras pesquisas já vinham apontando. Um levantamento desenvolvido em 2010 pela International Stress Management Association (Isma) revelou que, entre pessimistas inveterados, as chances de desenvolver moléstias — como problemas gástricos, dores musculares, arritmia e taquicardia — são maiores.

— Na ciência, classificamos os pessimistas como pessoas que interpretam as dificuldades como fracassos e sempre esperam o pior. Eles sofrem muito. Acham que o mundo é injusto, são inflexíveis e obsessivos — , destaca a presidente da Isma no Brasil e Ph.D. em psicologia, Ana Maria Rossi.

Não raro, quanto mais pensamentos negativos nutrem, mais pessimistas ficam. Mas o que está por trás disso? O neurologista Pedro Schestatsky diz que a explicação passa por um conjunto de fatores. Em geral, sempre que uma pessoa crê que algo vai dar errado e vive uma situação de estresse, um gatilho hormonal é disparado no cérebro, e substâncias como cortisol e adrenalina são liberadas. É como se o órgão percebesse que há algo ruim por vir e preparasse o corpo para a guerra — mantendo-o em estado de hipervigilância.

Em pessoas saudáveis, essas descargas são comuns e até benéficas. O problema é que, no caso dos pessimistas, passam a ser contínuas. O resultado da cascata hormonal é a diminuição da capacidade de suportar a dor e o enfraquecimento do sistema imunológico, abrindo brechas a doenças. Por essa e por outras razões, Schestatsky comemora o resultado da pesquisa britânica:

— O estudo comprova o quanto é importante o médico conversar com seu paciente, entender o que se passa na cabeça dele e trabalhar isso. Não adianta atendê-lo em cinco minutos e prescrever um remédio sem um vínculo terapêutico. Se a expectativa for ruim, tem tudo para dar errado.

Saiba mais

Dos versos melancólicos e negativos do poeta inglês Lord Byron à saga de Luis da Silva, protagonista de Angústia, de Graciliano Ramos, os conflitos vividos por homens e mulheres de mal com o mundo perpassam gerações e pululam livros, filmes e programas de TV. Até os fãs dos desenhos animados se acostumaram a rir do velho e choroso bordão “ó, céus, ó, vida, ó, azar”, de Hardy Har Har, a impagável hiena criada pelos estúdios Hanna-Barbera.

A técnica

Para ajudar pacientes a superarem o negativismo, a psicóloga Ana Maria Rossi costuma ensinar um método simples, desenvolvido na década de 80, chamado de técnica da visualização. Funciona assim:

1. Sempre que você estiver em uma situação que desencadeie algum pensamento negativo, pare o que está fazendo e respire fundo.

2. A idéia é que você “engane” seu cérebro. Em função de fatores neurológicos, ele não diferencia o real do imaginado. Para isso, antes que ele comece a produzir os hormônios relacionados ao pessimismo, substitua o pensamento negativo por um positivo e visualize a cena.

3. Repita o processo sempre que necessário e se programe para agir dessa forma até que passe a ser algo natural.

Problema tem solução

Pessimistas são como peixes presos a uma rede em alto-mar. Não é fácil se libertar da trama e dar um basta aos pensamentos negativos, afirmam os médicos. Mas não é impossível.

— O problema é que quando o pessimista vê uma luz no fim do túnel, acha que é a locomotiva que vem vindo. Ele se alimenta de fatos negativos. É um obsessivo —, diz a psicóloga Ana Maria Rossi.

O neurologista Pedro Schestatsky, coordenador do Comitê de Dor da Sociedade Européia de Neurologia, vai mais longe: muitos desses pacientes, na verdade, têm transtorno de personalidade catastrófica:

— Eles supervalorizam a dor, como aqueles sujeitos que têm uma unha encravada e acham que vão morrer.

Não raro, complementa o psiquiatra Fernando Lejderman, o quadro está associado a depressão ou ansiedade. Dependendo da gravidade dos sintomas, o paciente só supera a situação com terapia e medicamentos.

— É difícil, mas se a pessoa reconhecer o problema, consegue vencer — ressalta Lejderman.

*Juliana Bublitz - juliana.bublitz@zerohora.com.br

Por Jornal de Caruaru

Crônica: Só e sozinho – Por Caetano Veloso.

.
.

‘Choro tua tristeza’ e a virada na canção popular do Brasil

Caetano VelosoVivo cantando “Chora tua tristeza”, desde que aprendi no primeiro disco de Carlos Lyra. Gil é quem destacava Lyra e procurava tocar todas as suas composições. Esse samba do qual nunca me afastei não era composição de Lyra mas de Oscar Castro Neves. Oscar o compôs aos 16 ou 17 anos, em parceria com Luvercy Fiorini. A descida para o relativo menor, liderada pela melodia que explicitava a terça da dominante desse relativo, lhe dava um ar de composição romântica; as palavras de Fiorini reafirmavam essa tendência. A atração pela grande canção americana não se traduziu, na bossa nova, apenas em elegância formal, mas também em admitir que a poesia das canções pudesse exibir algum otimismo: diferentemente das canções americanas, em que as histórias de amor vitorioso são mais frequentes do que as de amor fracassado, os sambas, as valsas, as toadas, os sambas-canções brasileiros (assim como os boleros mexicanos e cubanos e os tangos argentinos) pareciam nascer da certeza de que uma cantiga só chegaria ao coração do ouvinte se falasse de traição, rompimento e separação. Refazendo o gesto de “Chega de saudade”, “Chora tua tristeza” anunciava que a canção popular no Brasil iria virar essa mesa. Sambas quanto a isso revolucionários como “O barquinho” não surgiriam sem a comissão de frente de “Brigas nunca mais” e seus dois antecessores. Acho que essa virada nas letras teve e tem consequências de toda ordem em nossa vida. Sua dimensão política nem tão cedo será devidamente apreciada. É imensa.

Canto tão em casa o samba de Castro Neves que só o fui gravar por causa de uma carta que recebi de Maddalena, irmã de Federico, me instando a fazer uma apresentação em Rimini para a Fudação Fellini. Ela conhecia a música que fiz sobre Giulietta Masina e tinha lido entrevistas minhas a jornais italianos em que falo sobre os filmes do seu irmão e da sua cunhada. Eu estava nos Estados Unidos quando recebi a carta. Desde o primeiro instante pensei em “Chora tua tristeza”. Passando por Los Angeles, liguei para Oscar e pedi que ele me tirasse, por telefone, uma dúvida de harmonia. Oscar me disse que viria até o hotel onde eu estava, “Em quarenta minutos estou aí”. Ele só queria saber se eu não ia sair. Eu ia ficar no hotel. Ele veio e achou que não havia nada propriamente a consertar. Mas pedi para ele tocar depois de mim. E conversamos. Oscar era um sujeito simplesmente maravilhoso. Mesmo em Salvador em 1963 eu não imaginava João Gilberto cantando “Chora tua tristeza”. Era uma coisa muito íntima e minha o gosto por aquela canção. Como com “La strada” ou “Noites de Cabiria”. E da mesma natureza. Um crítico inglês, desses presunçosos que escrevem em revistas de rock, desancou o álbum que saiu do show que fiz para a Fundação Fellini. Ele dizia não haver nada de felliniano no disco e só ouvia a redundante bossa nova de outros discos brasileiros. Era um idiota e estava errado. “Chora tua tristeza” era núcleo de um sentimento que eu reencontrava no cinema felliniano. “Coimbra” e “Coração materno” eram radiografia de Nino Rota. Mas isso são outros quinhentos (leio mil coisas erradas sobre discos e shows meus, mas não respondo ou guardo quase nada; esse artigo do inglês sobre “Omaggio a Federico e Giulietta” eu nunca esqueci, embora não tenha uma cópia comigo). Já a colaboração de João com Oscar no disco do México é coisa que, quando a gente ouve, entende que aquilo fatalmente iria acontecer. “Astronauta” é prova de que João e Oscar tinham de se encontrar. Entrei nesse assunto todo porque meu amigo Fernando Salem me contou que em sites de letras e cifras “Chora tua tristeza” aparece como se fosse composição minha. Não é. É de Oscar Castro Neves e Luvercy Fiorini. De “Marinheiro só” (anônimo tradicional da Bahia) a “Sozinho” (de Peninha), há uma pá de músicas que muita gente pensa que compus, quando só quis cantá-las.

“Chora tua tristeza” tem aquela descrição da felicidade no amor que cria um ambiente de responsabilidade. “É tão bonito gostar e querer ficar com alguém”. Manda chorar para que a tristeza fuja, como da cara de Cabiria no final do filme. Mas não é essa a ligação. A ligação é o clima íntimo vivido por quem canta e viu Fellini.

Sozinho e só, penso no movimento “Não vai ter Copa” e nas disritmias brasileiras. Olho os relógios de rua que, além das horas, dizem dia, mês, temperatura e penso em quanto se renovam coisas assim nas ruas do Brasil sem que a gente sinta sinal de que essas coisas vão durar. Quando sairemos do mundo de construções que já são ruínas? Bem, a bossa nova já deu a virada na mitologia amorosa nacional. Não consigo crer que esse esforço gigantesco tenha sido em vão.

Publicado, inicialmente, em ” O Globo”

Por Jornal de Caruaru

Coluna: Morte e Ressurreição – Por Paiva Netto

.
.

Pelos milênios, a celebração da Semana Santa demonstra-nos o inigualável suplício vivenciado por Jesus, o Cristo Ecumênico, o Celeste Estadista, na Sua dedicação extremada em prol da Humanidade. Sendo Espírito sem mácula, o Ungido de Deus voluntariamente carregou nossos erros sobre Seus ombros, a fim de nos livrar da ignorância que origina a Dor.

Paiva Netto

Paiva Netto

Pouco antes de ser preso pelos beleguins do poder da época, de conformidade com a narrativa de Lucas (22:39 a 46), o Divino Crucificado reitera para todos nós:

A IMPORTÂNCIA DA PRECE

“E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os Seus discípulos O seguiram. E, quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, afasta de mim este cálice; todavia, não se faça a minha vontade, mas a Tua.

“Então, Lhe apareceu um Anjo do Céu, que O confortava. E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o Seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra.

“Levantando-se da oração, foi ter com os discípulos e os achou como que dormindo de tristeza. E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação”.

O PÃO QUE DESCEU DO CÉU

E de que modo o ser humano pode manter-se acordado dignamente, perante Jesus e a Sua Política Eterna? Alimentando-se do Pão que desceu do Céu, porquanto, antes da definitiva reforma social, necessário se faz realizar a do Espírito, mas com Amor, Justiça e Solidariedade. Afinal, as palavras e exemplos do Sublime Ser, que derramou Seu sangue para o nosso resgate, constituem esse alimento eterno, consoante lemos nas Escrituras:

I —“Eu sou o Pão Vivo que desceu do Céu. Se alguém comer desse Pão, viverá eternamente” (Evangelho de Jesus segundo João, 6:51);

II — “(…) pelo Seu sangue (Jesus) nos libertou dos nossos pecados” (Apocalipse, 1:5).

Dizer-se que o Cristo nos libertou dos nossos pecados significa afirmar que o Divino Mestre nos deixou um roteiro doutrinário excelente para nosso sucesso. Ao seguirmos esse Sagrado Estatuto, com verdadeiro espírito de Caridade e de Justiça, nos transformaremos no esteio de nossos semelhantes. Porquanto, não há pecado maior do que a ausência de Amor solidário para com as criaturas humanas, os cidadãos (ou cidadãs) de cada país.

Prossigamos, pois, aprendendo com Jesus que, superando os dramas do Getsêmani e do Gólgota, ressuscitou dentre os mortos para conforto e esclarecimento dos corações terrenos. E nós ressuscitamos com Ele.

A morte é apenas a abertura de novas experiências de vida. Contudo, que ninguém considere o violento ato do suicídio e suas trágicas consequências como uma escolha libertadora. Tudo, até a morte, tem leis disciplinantes.
Esses e outros comentários fazem parte do livro que estou ultimando: “Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade”.

JORNALISTA ALEXANDRE CALDINI NETO

O ilustre jornalista Alexandre Caldini Neto, presidente do jornal “Valor Econômico”, trouxe-nos recentemente importantes considerações sobre como se deve encarar a morte. Nunca de forma lúgubre, mas de maneira natural. Segundo ele, é um aprendizado que ajuda as pessoas a lidar melhor com a partida de seus entes queridos e também com a sua própria, quando ela chegar.

O dr. Alexandre é autor do livro “A Morte na Visão do Espiritismo”. Agradeço-lhe a fraterna dedicatória que me endereçou: “Caro Paiva Netto, com carinho, gratidão e meus parabéns pelo belo trabalho. Tomara que a leitura seja agradável e útil. Um bom abraço. Caldini”.

Para ler mais artigos já publicados pelo Paiva Netto, clique AQUI>>>
…………………………………………………………………………………………………………………………….

José de Paiva Netto, é jornalista, radialista e escritor. Escreve, aos domingos, para a coluna do Paiva Netto no Jornal de Caruaru. Contatos: paivanetto@lbv.org.brhttp://www.boavontade.com

Por Jornal de Caruaru

Dono de fabrico é assassinado em Caruaru. O alvo era o funcionário.

.
.

O dono de uma fábrica de confecções de pequeno porte foi assassinado a tiros e um funcionário do estabelecimento ficou ferido neste sábado (19), na Rua Esdras de Farias, no Bairro do Salgado, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com informações da Polícia Militar, duas pessoas teriam chegado em um carro e feito os disparos.

Dono de fabrico assassinado.

A PM informou ainda que o alvo dos criminosos seria o funcionário, mas o dono do fabrico de 26 anos, acabou sendo atingido e morreu no local. O funcionário levou um tiro no pescoço e foi socorrido para o Hospital Regional do Agreste (HRA). Segundo o Serviço Social da unidade, o paciente está realizando exames e deve ser transferido para o Hospital da Restauração (HR), no Recife.

O corpo do dono do estabelecimento foi recolhido pelo Instituto de Criminalística (IC) e encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) da cidade. A polícia está a procura dos suspeitos.

Por Jornal de Caruaru

Requalificação das avenidas: Prefeitura implanta novo cruzamento entre avenidas Oswaldo Cruz e Agamenon Magalhães

.
.

Para acelerar as obras de requalificação das avenidas Agamenon Magalhães, Oswaldo Cruz, Manoel de Freitas e Rio Branco, a Prefeitura de Caruaru está aproveitando o feriado prolongado e executando intervenções, já que o trânsito está menos intenso esses dias.

Avenida Agamenon novo cruzamento

As ações estão mais concentradas na Avenida Oswaldo Cruz, onde será implantado um novo cruzamento com a Agamenon Magalhães. Na manhã deste sábado, 19, a banca de revistas que ocupava o canteiro central da Oswaldo Cruz foi relocada para o calçadão que está sendo construído na lateral do Hospital São Sebastião. Com o reordenamento, teve início a nova marcação do canteiro central com a Avenida Oswaldo Cruz.

A próxima etapa será a abertura no lado oposto, onde está localizada uma praça, para continuar o novo cruzamento. “Para compensar a perda da praça, estamos transferindo os bancos e faremos novos jardins no calçadão do Hospital São Sebastião. Vale ressaltar que o objetivo é fazer todas essas alterações sem retirar uma única árvore, de modo a manter a sombra e todos os benefícios que elas trazem às pessoas e à cidade”, detalhou o arquiteto da URB responsável pelo projeto, Swami Lima. Os semáforos provisórios já foram instalados no local, mas serão substituídos por outros mais modernos, com temporizador, para informar a contagem regressiva.

Por Jornal de Caruaru

#RipLucianoDoValle: Morre um dos maiores narradores de futebol de todos os tempos.

.
.

Segundo assessoria da Infraero, Luciano do Valle estava no voo da TAM (3244), de Congonhas-Uberlândia. Ele passou mal ainda no avião, que pousou às 14h30 na cidade.

Luciano do Valle - Futebol 2011

Morreu na tarde deste sábado o narrador esportivo Luciano do Valle. Luciano tinha 66 anos e era o principal narrador da rede Bandeirantes. O jornalista faleceu após sofrer um infarto dentro de um avião, quando viajava com a equipe da emissora paulista para fazer a transmissão de Atlético-MG x Corinthians, neste domingo, em Uberlândia, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Luciano chegou a ser levado para o hospital Santa Genoveva, em Uberlândia, mas não resistiu.

Luciano estava se preparando para narrar a Copa do Mundo do Brasil e não pensava em aposentadoria. Em 2012, ele chegou a se afastar das narrações para tratar de um problema de saúde, mas se dizia entusiasmado com a Copa e as Olimpíadas no Brasil.

- Estava tudo preparado para ele chefiar a Copa e a gente recebeu essa informação. Ele passou mal dentro do avião e ele não resistiu. Foi para o hospital, mas não resistiu – disse Joel Datena, filho do apresentador José Luis Datena, durante o programa “Brasil Urgente” deste sábado.

Luciano do Valle nasceu em Campinas, em São Paulo, no dia 4 de julho de 1947. Seu pai, Rubens do Valle, trabalhava como comerciante, e sua mãe, Tereza de Jesus Leme do Valle, era professora. Começou sua carreira profissional aos 16 anos, como locutor na Rádio Educadora, ao lado do radialista Lombardi Netto. Em pouco tempo, começou a narrar futebol para a Rádio Brasil, de Campinas. Depois de uma passagem pela Gazeta, foi convidado, em 1968, para trabalhar na antiga rádio Nacional, de São Paulo.

Foi lá que começou a narrar diversas modalidades olímpicas, como vôlei e basquete. Luciano era um dos principais divulgadores do esporte olímpico. Em 1970, participou da cobertura da Copa do Mundo do México, conquistada pela seleção brasileira. Foi a sua primeira experiência em um mundial.

No início da década de 70 foi para a divisão de Esportes da Globo. Nessa época, apresentou por um breve período o programa “Dois minutos com João Saldanha”, substituindo o jornalista e ex-técnico da seleção.

Pela Globo cobriu as Olimpíadas de Munique-1972. Após o Mundial da Alemanha, em 74, se tornou o principal locutor da emissora.

Ainda na Globo, cobriu as Olimpíadas de Montreal-1976 e Moscou-1980, além das Copas da Argentina, em 1978, e da Espanha, em 1982. Além de ter narrado várias provas de Fórmula-1. O narrador acompanhou o bicampeonato mundial de Emerson Fittipaldi, no GP dos Estados Unidos, em Watkins Glenn, em 1974, a vitória em Interlagos do brasileiro José Carlos Pace, em 1975, e o acidente de Niki Lauda, em Nurburgring, na Alemanha, em 1976.

Após o Mundial de 1982, se transferiu para a TV Record. Pouco tempo depois, foi apresentar o Show do Esporte na TV Bandeirantes. Luciano foi um dos responsáveis por transformar a emissora no Canal do Esporte.

Na Bandeirantes, ajudou a popularizar modalidades como vôlei, Fórmula Indy e a NBA, a liga de basquete dos Estados Unidos. Pela Bandeirantes, cobriu as Olimpíadas de Sidney-2000, a Copa da Alemanha de 2006, o Mundial da África do Sul, em 2010, e os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007. Também pela emissora, começou a narrar os desfiles das escolas de samba do grupo especial do carnaval carioca em 1999.

Teve duas passagens pela Bandeirantes. A primeira de 1983 a 2003. A partir de 1999, Voltou em 2006, onde trabalhava até os dias de hoje.

No canal, cobriu as principais lutas da carreira do lutador de boxe Maguila, e ganhou o apelido de Luciano do vôlei, por causa de suas narrações da geração de prata, nas Olimpíadas de Los Angeles, em 1984. No basquete, criou os apelidos Magic Paula e Rainha Hortência para as principais jogadores do time feminino que conquistou o Mundial de basquete de 1994.

Por Jornal de Caruaru

Azulinho, filho do mestre Azulão, lança seu segundo disco, daqui a pouco, em Caruaru.

.
.

Neste sábado (19), o cantor Azulinho, filho do mestre Azulão, lança o segundo disco da sua carreira, “Forró made in Caruaru”, a partir das 21h30, com a participação de Azulão, Valdir Santos e Lula Viegas. O evento será realizado durante o “Parada Obrigatória” no Polo da Estação Ferroviária em Caruaru. No mês passado, o músico lançou o disco na Sala de Reboco, no Recife.

O voo de Azulinho. foto de Beto Figueiroa/Trago Boa Notícia (crédito obrigatório)

O voo de Azulinho. foto de Beto Figueiroa/Trago Boa Notícia (crédito obrigatório)

Gravado e mixado em Caruaru, o álbum traz Azulinho interpretando um time de novos e velhos compositores da região. Para ele, é uma chance de divulgar o trabalho de pessoas que ainda não tem espaço no “universo do forró”.

Com doze faixas, o disco busca trazer modernidade para o ritmo, mas sem estilizar. O artista afirma ter vivido dentro de uma tradição de sanfona, que é a prioridade do seu trabalho. Nascido em 13 de dezembro de 1985, Azulinho, nome artístico de Alexandre Lima, mora em Caruaru.

Diferentemente do primeiro álbum, que foi comercializado apenas na cidade, o segundo estará à venda nas principais lojas do ramo.

Serviço

Lançamento do disco “Forró made in Caruaru”

Local: Polo da

Estação Ferroviária – Centro de Caruaru

Dia: 19 de abril

Hora: 21h30

Acesso: Aberto ao público.

Por Jornal de Caruaru

Governador João Lyra Neto não fará compensação com PR de Inocêncio

.
.

Que o deputado federal e presidente estadual do PR, Inocêncio Oliveira (PR), anda magoado com governador de Pernambuco, João Lyra neto (PSB) não é novidade para ninguém.

João Lyra Neto Inocêncio Oliveira

Inocêncio esperava que, após a saída do ex-governador Eduardo Campos para disputar a Presidência da República, o PR conquistasse cargos importantes no primeiro escalão da administração estadual; apesar das queixas, o secretário da Casa Civil, Luciano Vásquez, disse que o governador não irá fazer política de compensação e nem adotar algum tipo de retaliação contra a legenda.

“A conversa com o PR sempre foi permanente, mas não faremos esse debate no sentido de compensar ninguém. Os deputados Sebastião Oliveira, Henrique Queiroz e Alberto Feitosa (todos do PR) estão na base e nós estamos avaliando internamente, mas não vamos por esse caminho de atender exigência de ninguém. O governador já conversou com o deputado Inocêncio Oliveira anteriormente, e caso haja a possibilidade de ter um espaço para o PR isso vai acontecer, mas temos que avaliar o que é melhor para a gestão”, d Folha de Pernambuco.

Vásques também negou que uma das formas de afagar o PR que estariam sendo discutidas internamente seria entregar ao partido o comando do Detran, hoje controlado pelo PSDB, que entrou na base governista no início deste ano. “O Detran nunca esteve em discussão, por isso não pode ser incluído nem descartado de onde nunca esteve. É um órgão que precisava passar por uma reestruturação e é isso que vem sendo feito para voltar a atender à população com excelência. O Detran não será usado como moeda de troca”, assegurou. Via Pernambuco 247.

Aliado de primeira hora das duas administrações do ex-governador Eduardo campos, Inocêncio não digeriu bem o fato de ter sido deixado de fora do primeiro escalão da nova administração pernambucana. Um dos argumentos utilizados é que o PSDB caiu de “paraquedas” na Frente Popular e mesmo assim teria ganho duas secretarias (Cidades e Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo), além do Detran, comandado pelo tucano Caio Melo. Na nova composição da administração estadual, o PR perdeu o comando da pasta de Turismo, quando o deputado estadual Alberto Feitosa reassumiu o seu mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa.

Por Jornal de Caruaru

Cantor Marcelo Jeneci de graça em Caruaru neste sábado (19)

.
.

O cantor Marcelo Jeneci se apresenta de graça neste sábado (19) em Caruaru, Agreste de Pernambuco.

marcelo jeneci

O show acontece na estação ferroviária da cidade. O cantor paulista sobre ao palco às 19h. Estão programados para se apresentar antes Rogéria (20h), Azulinho (21h20) e Valdir Santos (22h30).

Este show faz parte da programação cultural Parada Obrigatória, um projeto da Empetur. A proposta é trazer visitantes para Caruaru na Semana Santa, período em que a cidade vizinha Gravatá concentrar um grande volume de turistas.

Por Jornal de Caruaru

Escritor diz que Brasil teve “ditadura branda”

.
.

Domingos Pellegrini causou polêmica em mesa redonda na Bienal do Livro de Brasília.

Domingos pellegrini

Ao usar o termo ditadura branda em debate na 2ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, o escritor Domingos Pellegrini causou polêmica. Pellegrini que viveu e escreveu sobre o período, disse que a ditadura no Brasil foi mais branda que os demais governos militares na América Latina.

“Na Argentina, no Uruguai e no Chile o número de mortos, feridos e torturados foi maior. São números. Se formos comparar, a censura à imprensa no Brasil foi mais branda. Não chegava a prender ninguém. Era uma avacalhação”, disse. “Agradeço por ter havido uma ditadura branda que nos permitiu esses exercícios de liberdade que foram os mimeógrafos e outras publicações que nos permitiram lutar com dignidade”.

O escritor e jornalista Ignácio de Loyola Brandão, que também fazia parte da mesa de debate foi o primeiro a se indignar. “Ditadura, seja onde for, é odiosa. Vidas foram sacrificadas, pessoas foram mortas, uma geração foi sacrificada. Não dá para dizer que é branda. Não dá para dizer que agradeço à ditadura, não agradeço nunca”.

Logo a plateia também se indignou. Foram várias as manifestações contrárias, incluindo a do secretário de Cultura do Distrito Federal, Hamilton Pereira, que também lutou contra a ditadura. “Acredito que há um equívoco no termo usado”. Pellegrini defendeu-se: “não agradeço, lutei contra ela. Mas agradeço que foi uma ditadura mais branda que as demais na América Latina”.

Os escritores participaram do debate A Produção Literária nos Anos de Chumbo. A mesa era composta por Loyola, Pellegrini e Luiz Fernando Emediato. Como explicou Loyola, eles vieram dos jornais. “Fazemos parte de uma geração de escritores diferente da anterior, viemos dos meios de comunicação. Somos uma geração que viveu na pele e, tendo que se calar, se abriu por meio da literatura”.

Hoje, eles se dizem descrentes nos jornais. “Leio todos os jornais para não ter informação nenhuma e não ter opinião nenhuma. Eles estão atrelados aos que representam, mas a opinião deles não me afeta. Não acho que hoje eles determinem tanto, estou mais preocupado com o que vem das redes sociais, da internet, é uma grande confusão”, disse Loyola.

Emediato vê um problema nas fontes usadas pelos jornalistas. “Tem muito erro, imprecisão, manipulação. Você constrói a história, passa para o jornalista e raras vezes ele vai checar”, disse. Ele deixou o jornalismo na década de 1990. “Várias vezes li descrições de fatos e reuniões que não aconteceram. Já liguei para um jornalista e ele me disse que tinha fontes boas. Eu estava lá, eu vi e ouvi, eu rebati, mas ele disse que não acreditava”.

A Bienal do Livro ocorre em Brasília, até segunda-feira (21). A entrada é gratuita. A programação está disponível na página do evento.

Por Jornal de Caruaru

19 de abril – Dia do Indio. saiba um pouco da sua história

.
.

Comemoramos todos os anos, no dia 19 de Abril, o Dia do Índio. Esta data comemorativa foi criada em 1943 pelo presidente Getúlio Vargas, através do decreto lei número 5.540. Mas porque foi escolhido o 19 de abril?

dia do indio

Origem da data

Para entendermos a data, devemos voltar para 1940. Neste ano, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Além de contar com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América, vários líderes indígenas deste continente foram convidados para participarem das reuniões e decisões. Porém, os índios não compareceram nos primeiros dias do evento, pois estavam preocupados e temerosos. Este comportamento era compreensível, pois os índios há séculos estavam sendo perseguidos, agredidos e dizimados pelos “homens brancos”.

No entanto, após algumas reuniões e reflexões, diversos líderes indígenas resolveram participar, após entenderem a importância daquele momento histórico. Esta participação ocorreu no dia 19 de abril, que depois foi escolhido, no continente americano, como o Dia do Índio.

Comemorações e importância da data

Neste dia do ano, quando não cai em um final de semana ou, na Semana Santa, ocorrem vários eventos dedicados à valorização da cultura indígena. Nas escolas, os alunos costumam fazer pesquisas sobre a cultura indígena, os museus fazem exposições e os municípios organizam festas comemorativas. Deve ser também um dia de reflexão sobre a importância da preservação dos povos indígenas, da manutenção de suas terras e respeito às suas manifestações culturais.

Devemos lembrar também, que os índios já habitavam nosso país quando os portugueses aqui chegaram em 1500. Desde esta data, o que vimos foi o desrespeito e a diminuição das populações indígenas. Este processo ainda ocorre, pois com a mineração e a exploração dos recursos naturais, muitos povos indígenas estão perdendo suas terras.

Por Jornal de Caruaru